Palavras Reunidas: Unidos pelo confeti azul

02 Unidos pelo confete azul

Diversas frases

Vivendo para esquecer os meus fracassos e não sofrer,

Dizendo só por dizer que, eu não penso mais em você.

Será loucura? Ou ilusão?

Mentir pra mim, dizer que não.

Tormento, obsessão,

tentar fugir sem direção.

Quem vai dizer que eu não tentei?

Se você for capaz de me esquecer e não lembrar mais.

 Mas quem sou eu para falar,

com quem você deve ficar?

Tentar, me convencer que eu não sou bom para você.

Sentir, o que eu fiz para lhe ter tão longe assim.

Mas como acabar o que nem terminou?

Como acabar o que ainda não começou?

O mundo parece transformar-se quando entramos na faculdade, as necessidades ficam afloradas. Depois de um namoro de ensino médio, nada melhor do que uma vida nova, amores novos, cachaça, churrasco e uma sensação de liberdade que sempre existiu mas, que após 18 anos faz uma diferença enorme na nossa vida.

Foi assim que eu me entreguei a tudo que poderia tornar a minha vida em algo novo, com isso veio a internet, fiz cadastro em todos os sites e tornei-me um usuário compulsivo de todas as redes sociais, devo ser sincero e dizer que minha tática de conhecer garotas foi a mais básica e que talvez seja usada até hoje por muitos adeptos da paquera virtual, vejo um rostinho bonito no perfil do Orkut, deixo um recado fingindo conhece-la, crio amizade para depois pedir seu MSN e finalizar a conversa ou marcar um encontro a dois. Pronto é isso, mas nem sempre deu certo.

Somos frutos de nossa própria imaginação, e usamos esta da melhor forma que nos interessar, seja com fotos, textos, vídeo ou qualquer manifestação virtual.

Foi com a tática básica do Orkut + MSN que pude conhecer e namorar alguém que vivia do outro lado da cidade, isso só foi possível graças à internet, Oh! Santa.

Quando pensamos em conhecer alguma “amiguinha” virtual, temos que nos precaver, pode ser perigoso, mas o pior de tudo é ser desastroso e eu já vivi os dois.

Um show de rock é o melhor pedido, marca e vai, se não pintar clima, o show proverá outras gatinhas (estou rindo de mim mesmo), mas eu não precisei conhecer outras, ela era o máximo, tudo que eu precisava naquele show, mesmo assim foi embaraçoso.

Fui com um amigo, pois sair sozinho para encontrar uma desconhecida não cheira a coisa boa, no show ele encontrou com duas amigas, sem beber e nem pensar acabou ficando com uma das garotas e que o sobrou pra mim foi o resto.

– E aí? Vai ficar só me olhando?

– E… Ah… Como é seu nome mesmo?

Pronto, ela me agarrou e me beijou, sou inocente nessa história.

Sei que nesse momento você deve estar pensando que sou um cafajeste, mas ainda sim, consegui me livrar da maluca que agarra desconhecidos e encontrar minha paquera virtual no show, quando a encontrei,foi tudo perfeito.

Depois de tanto encontros, o previsível acontece, tínhamos acabado de sair de uma lojinha de doces, comprei um Confeti, sentamos no banco de um shopping movimentado, aí eu dei um gelo nela dizendo que não queria nada sério, ela lacrimejou, ofereci confetis a ela, ela me ignorou (básico de mulher que está puta da vida) mas depois complementei:

– Se você quer namorar comigo, aceite este… Confeti azul.

É tão bonito ver alguém sorrindo com os olhos marejados, sei lá, eu gosto. Melhor terminar essa história por aqui, o importante são as coisas boas.

Isso não significa que teve um final feliz. (e não estou rindo neste momento).

O fato é que depois de um namoro, você tenta superar todos os erros do passado, e eu que sou intenso resolvi quebrar todas as regras, não me permiti dar tempo ao tempo, não queria ir gostando aos poucos, queria tudo ao mesmo tempo e tinha que ser agora, me joguei, amei loucamente, queria estar próximo a qualquer momento, queria poder ligar de madrugada.

O resultado dessa sede de um amor que consome não teve um resultado bom pois, em pouco tempo o destino mudou o rumo de tudo e a levou para longe, fiquei na pior mas isso foi bom, aprendi com essa lição o que não tinha aprendido com os sentimentos de janeiro. E quer saber o mais? Eu não me arrependo e estou disposto a fazer tudo de novo por outro alguém.

 

Um mês e eu nem sei por onde anda

Corrigindo apenas os erros que

 não foram tão ruins assim.

A existência do silêncio que me faz refletir sobre tudo que já fiz.

Tento me ocupar, tento não pensar,

para isso não tomar conta de mim.

Não me acostumar, não me viciar,

só Deus sabe o quanto isso é ruim.

Sinto falta daquele olhar que me deixou na incerteza

e as promessas feitas na despedida.

Hoje prometi não me importar,

mas meus sonhos não posso controlar,

por mais que eu finja que não aconteceu.

Procurando respostas, quem foi que perdeu?

Tantas rimas que eu fiz para esse dia feliz,

mas hoje estou tentando explorar minha paciência.

Apenas ser eu mesmo, viver sem observar

e não morrer na minha existência.

Anúncios

Palavras Reunidas: Para começar

Oi, tudo bem ?

Esse é o primeiro de oito capítulos de um ensaio literário que fiz durante minha juventude tardia, logo após eu o utilizei como material para estudo de caso em minha pós em artes visuais, o livro se divide em fases da qual espero que você goste, a leitura começou, aprecie sem moderação.

O mundo de bolas de gude

pro thiago ver

Quando não temos para onde ir, o que fazer?

E quando estamos no chão e pensamos estarmos derrotados de vez, o que vem depois?

A vida em correria como se isso fosse nos fazer esquecer de nossos medos interiores, ou talvez,

 nos aliviar por um momento.

Não estamos sendo perseguidos pela nossa covardia.

A vida é uma caixinha com bolas de gude, onde olhamos através delas e vemos apenas desenhos retorcidos.

Como eu queria enxergar alguém puro de coração,

assim me purificar também.

Meus braços estão cansados de sempre pedir algo que nunca se manifesta, porém não me canso de acreditar que muito do que sou é graças a isso.

Música sobre auto-estima no momento,

 não quer dizer que esteja me sentindo bem.

Acredite se quiser, um reflexo nosso na água nos diz muita coisa, como diz.

Pense no seu mundo de bolas de gude,

 como seria se você não estivesse lá?

O que pode acontecer quando você faz 18 anos e se vê numa rebeldia incontrolável de sentimentos?

O mundo parece que esqueceu de você, de ditar regras e talvez até lhe dizer:

“- Tudo que você sonhou quando criança, será um pouco distorcido.”

Estranho mesmo, depois de tudo que você aprendeu é começar do zero, pois as suas experiências não fazem diferença para onde você vai agora, trilhar seu verdadeiro caminho.

Sentimentos são portas invisíveis para nosso coração, o que muitas vezes nos deixam paralisados, sem reação e sem saber como agir. É fundamental o exercício do perdão e da entrega para não viver apenas lamentos, sofrer nos custa muito, sempre custa.

Reunir todos os textos que achei em minha gaveta e tentar organizá-los de um jeitinho que você se sinta parte disso não foi uma tarefa fácil.

Chega a ser nostálgico lembrar as fases em que eu me vi sem reação, paralisado, coração querendo pular fora do peito e por fim trancar-se em casa a ponto de nunca mais querer ver a luz do sol. Sim, a maioria de nós já passou por isso, nada melhor do que escrever e compartilhar.

Escrever talvez não seja mesmo um talento do qual, todos possam viver, eu tenho convicção que me incluo nisso, porém nada nos impede de colocar nossos pensamentos em uma folha e compartilhar com alguém.

Escrevo apenas o que eu gostaria de ler, assim em algum momento eu não me sentiria tão perdido.

Talvez eu não teria errado tantas vezes, mas errar também faz parte, sempre faz.

Em agosto de um ano sem muitas coisas boas, comecei a escrever este ensaio que às vezes chamo de livro mas, talvez não seja justa tal comparação.

Expressar sentimentos e revelar segredos foi o que me veio à cabeça quando pensei em escrever numa noite dessas de agosto “onde o sol é sol e a noite é noite”

Eu resolvi começar a minha jornada.

Um mundo de bolas de gude poderia ser a solução daqueles que ainda não encontraram seu lugar no mundo, seu espaço no coração de alguém, um amor que pudesse curar a alma em um lugar onde seu passado não fizesse a menor diferença.

Mesmo depois de tudo que você ler, acredito que ainda estarei longe de um dia reunir todas as palavras.

Bem vindo.