O sexo das moscas

Se você acreditava no ditado popular que era dito quando a relação não andava “ Igual mosca de padaria, não trepa nem sai de cima”, tenho de lhe confessar que você está enganado, elas trepam. Mas não é só isso,veja você no que ando pensando. 

Na verdade eu não suporto mais a convivência com esse inseto, ainda nem começamos o verão, mal superei as formigas e as eternas baratas que me cercam, agora as moscas são quase membros da família. Fazem todas as refeições conosco. A casa vive cheia delas, já queimamos incenso, passamos vinagre branco em toda a cozinha e nada. Elas só não aparecem à noite e em dias de chuva, as que chegam antes da chuva já ficam, mas não trazem os parentes. No meu passeio matinal me deparo com um casal de

moscas acasalando. Como isso é possível? Com uma crise dessa? A gasolina batendo recorde, o ovo com o preço da carne e a carne com preço de jóia. E elas estão ali, fornicando, sem se incomodar com a minha presença, e sejamos honestos, beirando a obesidade. Não é possível! É sim…

Dedico alguns minutos a pesquisa e sou obrigado a reconhecer que temos muitas semelhanças com as moscas em relação ao sexo. 

As moscas vivem em média trinta dias, desse total, quatorze são em processo de amadurecimento, formação de caráter e encontrando um sentido para a vida. O que sobra são míseros dezesseis dias dedicados à vida adulta. A vida de uma mosca é muito mais do zumbir em nossos ouvidos, comer lixos e botas ovos em todo canto. A mosca precisa e gosta de acasalar, o tempo médio é de dez minutos, mas não se resume a isso.

As fêmeas não topam qualquer parada, só acasalam com o companheiro ideal, tem até que cantar música de amor (ou zumbido) para acontecer os finalmente, e duvide ou não, a mosca fêmea nunca é traída. Se uma mulher com dois olhos descobre tudo, pense em uma com mil. Já as que acasalam menos morrem mais cedo, o que não muda muita coisa com a nossa forma de fazer sexo, figuradamente falando.

Já os machos, mesmo com tanto planejamento e juntando as patinhas dando a sensação de já terem um plano para conquistarem suas fêmeas, quando são rejeitados buscam conforto no álcool. Não adianta forçar, se a mosca fêmea não deu sopa, não vai pousar e pronto (tentativa de trocadilho ridícula), o jeito é afogar em mágoas e tentar com outra. Escrevo enquanto algumas insistem em me incomodar, de repente não querem se expor na web, ou apenas que eu revise algumas observações que podem não ser tão verdade assim, afinal, não vale generalizar, tenho pra mim que rola um adultério nesse mundo mosqueiral. Mas isso eu ainda preciso investigar porque elas não dizem nada, aliás, em boca fechada não entra mosca (Morri e me enterrei ao mesmo tempo com essa).

Abaixo uma coleção de artes feita pelo fotográfo Magnus Muhr (https://www.instagram.com/lemuhr/), essas e outras podem ser vistas em livro “The life of fly.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s